Educação Física
       
       

A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA ÓTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO




A célula de estagio supervisionado desenvolve uma ação pedagógica de cunho contínuo com o objetivo de atender as especificidades do projeto pedagógico dos cursos de licenciaturas em Português, Biologia, História, Geografia, Matemática, Letras e Pedagogia geridos pelo Instituto de Estudos e Pesquisas do Vale do Acaraú-IVA.
Em consonância com as diretrizes pedagógicas e baseadas nas orientações regidas pela Lei nº 11788, de 25 de setembro de 2008, Art.1º, incisos 1 e 2:
Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam freqüentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos.
§ 1o O estágio faz parte do projeto pedagógico do curso, além de integrar o itinerário formativo do educando.
§ 2o O estágio visa ao aprendizado de competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular, objetivando o desenvolvimento do educando para a vida cidadã e para o trabalho.
Partindo dessa premissa, as disciplinas de estágios supervisionados são orientadas em consonância com as propostas pedagógicas e de formação profissional de cada curso, proporcionando aos nossos alunos um fazer pedagógico fomentado por ações de caráter ético e social.
Para isso, temos um grupo de professores com formação específica e titulação de especialistas, mestres e doutorandos que acompanham e orientam mensalmente os alunos nos seus respectivos municípios. Para que aconteça uma unicidade nas orientações pedagógicas, a coordenação de estágio realiza semestralmente um encontro pedagógico para entrega do material didático, orientações e socialização das informações acadêmicas e administrativas, oportunizando aos docentes a troca de conhecimentos e exposição das suas experiências em cada curso, semestre, município e turma. No decorrer do semestre em parceria com as coordenações de área e articulação local é realizado continuamente um acompanhamento com os professores por meio de atendimento na coordenação e online.
Essa metodologia implantada há oito anos na célula de estágio do IVA, tem logrado êxito acadêmico e científico por meio do relato de experiência apresentados nas Universidade de Fortaleza, Universidade Federal do Ceará, Universidade Estadual do Ceará e na Universidade Federal de Mato Grosso.

ETAPAS DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO



O estágio supervisionado organiza-se em quatro etapas. Cada etapa objetiva desenvolver uma competência básica na formação do aluno, seguida de outras específicas e habilidades relacionadas. As competências básicas e as habilidades estão associadas às competências gerais estipuladas anteriormente, nesse projeto.

1. ESTÁGIO I: AÇÃO DOCENTE NO ENSINO FUNDAMENTAL - 120 horas



Competência Básica: Observação, planejamento e desenvolvimento da prática docente no Ensino Fundamental.
Competências específicas: 1. Conhecimento conceitual sobre: escola, currículo, planejamento de ensino, avaliação escolar;
2. Observação da escola e da ação pedagógica no ensino fundamental;
3. Planejamento do ensino por pedagogia de projetos e competências;
4. Ensino de conhecimentos específicos em consonância com o currículo escolar;
5. Analise da prática docente observada e realizada;
6. Produção de relatório da prática docente no ensino fundamental.


ESTÁGIO II: AÇÃO DOCENTE NO ENSINO MÉDIO – 120 horas




Competência Básica: Observação, planejamento e desenvolvimento da prática docente no Ensino Médio.
Competências específicas:
1. Observação da escola e da ação pedagógica no ensino médio;
2. Planejamento do ensino por pedagogia de projetos e competências;
3. Ensino de conhecimentos específicos em consonância com o currículo escolar;
4. Analise da prática docente observada e realizada;
5. Produção de relatório da prática docente no ensino fundamental.


ESTÁGIO III: ELABORAÇÃO E PRÁTICA DE PESQUISA NA EDUCAÇÃO BÁSICA – 120 horas




Competência básica: Análise científica dos processos educativos inerentes ao ensino do conhecimento específico na Educação Básica.
Competências específicas:
1. Elaboração de um projeto de pesquisa na área de Licenciatura Especifica com foco na educação básica;(temas pertinentes a licenciatura e não bacharelado);
2. Pesquisa bibliográfica referentes ao tema do projeto;
3. Pesquisa empírica;
4. Sistematização e analise de dados;
5. Produção de um artigo científico sobre os resultados da pesquisa.
6. Escrita, organização, digitação e revisão de um texto seguindo as normas técnicas científicas;
OBS: Esta é a etapa final do estágio supervisionado na formação do Programa CLE/UVA. A estrutura do Trabalho de Conclusão de Curso denominado artigo segue a normatização da UVA/IVA.

ESTÁGIO IV: APRESENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO – 30 horas



Competência Básica: Apresentação de Produção de um trabalho científico.
Competências específicas: 1. Produção individual e apresentação pública do trabalho, conforme as normas institucionais.
2. Reflexão sobre a prática docente a partir dos conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação no Estágio Supervisionado e no curso.


PLANEJAMENTO




O planejamento do Estágio Curricular Supervisionado II e III, será feito pelo estudante com a colaboração da direção da escola escolhida pela próprio aluno, o professor da disciplina especifica para o desenvolvimento do estágio e o apoio do professor orientador de estágio, levando-se em conta o tempo legalmente exigido para essa atividade e as disponibilidades da escola.
O planejamento deverá considerar a realidade do contexto sociocultural da população escolar; estar inserido no projeto político pedagógico e utilizar as técnicas necessárias para atingir os objetivos propostos.
Vale salientar que a nossa proposta tem como objetivo levar ao aluno-estagiário no percurso das fases de Observação e Regência a identificação de situações in locu que conduzam ao questionamento, á dúvida, á busca da chamada situação-problema que será discutida e pesquisada no Estágio Supervisionado IV – Trabalho de Conclusão de Curso – TCC, que será sustentado pelas as seguintes etapas: Planejamento/Observação, a Prática Docente e a Prática de Pesquisa.


COMPETÊNCIAS


 


Objetiva-se com esse excerto esquemático apresentar as competências gerais e específicas do referido programa para melhor compreender os princípios da formação do professor. Será exposto, também, as atribuições do professor orientador e as etapas de organização do estágio Supervisionado visando um melhor desempenho do trabalho de orientação e andamento do estágio.

Competências docentes gerais a serem desenvolvidas pelos alunos durante a sua formação:

• Ter domínio dos conhecimentos específicos da área de formação;
• Selecionar, organizar e ensinar os conhecimentos específicos necessários a aprendizagem na escola básica;
• Observar, investigar, planejar e desenvolver ações pedagógicas na escola básica;
• Articular conhecimentos pedagógicos e específicos nas dimensões da complexidade, interculturalidade, interatividade, diversidade e transversalidade;
• Gestar o processo de ensino-aprendizagem numa perspectiva crítico-reflexiva e contextualizada;
• Acompanhar e avaliar o processo de aprendizagem dos alunos numa perspectiva Contínua formativa, emancipatória e coerente com os propósitos do planejamento de ensino.
• Ter uma consciência de professor-pesquisador com capacidade de transformar a prática pedagógica em objeto de estudo constante aperfeiçoando-a;
• Profissionalizar-se na docência tendo como princípio a formação continuada. Competências docentes a serem desenvolvidas pelos alunos durante a realização do Estágio Supervisionado Competências para gestar o processo de ensino e aprendizagem:
• Ensinar os conhecimentos específicos da área de formação considerando os diferentes saberes (históricos, econômicos, políticos, sociais, culturais, artísticos, afetivos, cognitivos, etc.) que constituem a ação humana;
• Desenvolver uma prática docente interdisciplinar, promovendo competências necessárias a educação básica;
• Criar e socializar atividades pautadas nos princípios dos Parâmetros Curriculares Nacionais das áreas específicas, no sentido de aprimorar ou inovar as práticas existentes na escola;
• Planejar o ensino na pedagogia de projetos;
• Elaborar e executar projetos curriculares visando o aprimoramento do ensino e da aprendizagem dos conhecimentos curriculares e os que dele demandam.
• Planejar e desenvolver uma prática docente que promova a aprendizagem dos conhecimentos escolares no ensino fundamental e médio;
• Planejar o ensino considerando os problemas ou dificuldades existentes no contexto escolar onde irá realizar sua prática;
• Analisar as dificuldades de maneira que as mesmas possam ser superadas;
• Realizar práticas pedagógicas que desenvolvam o senso crítico e a criatividade;
• Conceber o processo de ensino-aprendizagem como objeto da sua profissão e nele garantir o sucesso e a superação do aluno;
• Agir com rigorosidade metódica através da capacidade crítica, criatividade e propositividade nas relações de ensino-aprendizagem;
• Dialogar com as demais áreas do conhecimento visando uma prática educativa interdisciplinar;
• Identificar e mediar a diversidade cultural existente nas relações educativas;
• Utilizar novas tecnologias e estratégias eficientes para promover a aprendizagem dos alunos;
• Pesquisar conhecimentos pertinentes a prática de ensino no contexto escolar. Competências para gestar a formação e autoformação docente:
• Articular, analisar e desenvolver os saberes da prática docente numa interlocução entre os diferentes saberes: científicos, políticos, profissionais, sócio-culturais...;
• Transformar os conhecimentos da área específica em saberes relevantes para a transformação da realidade escolar;
• Analisar a relações constitutivas do processo educativo na escola (professor-aluno; professor-professor; professor-gestão; professor-familia);
• Produzir, sistematizar e tornar público conhecimentos que dão sustentabilidade a prática docente, com rigor ético e científico;
• Articular leituras teóricas e sínteses das atividades realizadas na área específica com questões sócio-culturais;
• Refletir criticamente sobre os saberes da prática a partir das experiências e formação adquirida;
• Analisar as diretrizes políticas, econômicas e sociais para educação e suas relações com a prática docente na escola.


ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR ORIENTADOR DURANTE A REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO


 


O trabalho de mediação exige do professor-orientador o conhecimento da realidade escolar do aluno, pois ensinar exige apreensão da realidade e reconhecimento e assunção da identidade cultural (Freire, 1997). Nesse sentido, o acompanhamento das atividades do aluno no espaço de trabalho é uma atividade que professor-orientador deve realizar ao longo do trabalho da Ação Pedagógica Mediada.
O professor-orientador do Estágio Supervisionado cumpre um papel importante de trabalhar com o aluno questões sobre a ação docente, tais como: conhecimentos específicos da área, planejamento, currículo, avaliação, metodologias, relação professor-aluno, etc., mas também de refletir, constantemente, sobre a profissionalidade docente, diretrizes das políticas educacionais, questões salariais, condições de trabalho, relação escola-comunidade, relações de poder no interior da escola, multiculturalidade cultural entre outras.

Para o exercício pleno dessa atividade fazem-se necessárias estabelecer algumas atribuições:

a) Oportunizar momentos de reflexão sobre a prática docente escolar a partir das observações registradas pelo aluno nas visitas à escola; dos relatos de experiências do mesmo e de situações-problema;
b) Orientar na elaboração dos planejamentos de ensino;
c) Socializar com o grupo de trabalho os relatos das práticas pedagógicas proporcionando um espaço amplo de discussão reflexiva das mesmas;
d) Encaminhar soluções e materiais (textos e recursos didáticos) para atender as demandas pedagógicas do aluno;
e) Orientar o aluno a observar, descrever e analisar a dinâmica de funcionamento do espaço escolar no qual trabalha e de sua prática pedagógica, no sentido de despertar um olhar criterioso e investigativo diante a sua realidade escolar;
f) Incentivar e auxiliar o aluno na elaboração de textos/ relatórios que expressem uma reflexão da prática docente realizado durante o estágio;
g) Acompanhar o desenvolvimento das atividades de estágio do aluno no ambiente escolar;
h) Propor estratégias de intervenção pedagógica na realidade escolar através de atividades, leituras e discussões temáticas voltadas para compreender a realidade sócio-política e educacional do sistema de ensino;
i) Promover estudos teórico-metodológicos que potencializam a ação docente no desenvolvimento da aprendizagem escolar;
j) Subsidiar os alunos com referencias teóricas e matérias didáticos relevantes para prática do estágio supervisionado.
O professor-orientador encarregado de fazer o acompanhamento do professor-aluno precisa de uma formação capaz de lhe possibilitar a realização de um trabalho voltado para o entendimento da realidade escolar. Para tanto deve ser submetido a um processo de formação cujo princípio norteador esteja voltado para uma concepção de escola, educação e ensino concebido enquanto totalidade.


 
  IVA- Histórico
   
 

© 2010 - IVA - Instituto de Estudos e Pesquisas do Vale do Acaraú - Todos os direitos reservados
Rua Randal Pompeu, 129, Centro, Sobral – CE, CEP: 62010 - 381
Tel.: (88) 3611 - 7502 / (88) 3611 - 7509